Arquivo | 15:08

Estou grávida! Sentimentos iniciais.

18 ago

Receber a notícia de uma gravidez é sempre algo surpreendente. Muitas sensações passam pela cabeça das mulheres, trazendo espanto, surpresa, felicidade, entusiasmo, medo ou todas elas ao mesmo tempo. É importante dizer que, na grande maioria dos casos, a mulher experimenta o que chamamos, na psicanálise, de ambivalência afetiva. Esse conceito diz respeito a esse emaranhado de sensações simultâneas que podem ser positivas ou negativas sobre a gravidez. Muitas vezes, as grávidas não têm consciência delas, assim, não se dão conta de sua existência. Essa experiência é perfeitamente comum e acontece com muita freqüência. Em alguns momentos a mulher nem sequer deseja estar grávida. Como a gravidez é uma situação de total mudança na vida de uma mulher ela traz em si mesma, expectativas sobre uma nova vida para aquela gestante.

Para as mulheres que esperam há muito tempo um bebê a sensação aparentemente é de alegria total; afinal, a espera é coroada pelo resultado positivo. Contudo, nem sempre é assim. Mesmo desejando muito um bebê, a sensação de estranhamento pode aparecer. Esse pode ser o caso das gravidezes fruto de reproduções assistidas, por exemplo. A mulher quis aquela gravidez e não entende porque não se sente totalmente plena. Tal fato pode ficar mais evidente em mulheres que não planejaram a gravidez: outras sensações, além das positivas, podem estar em destaque, como medo, rejeição à gravidez, sensação de perda de controle, pavor diante da ideia de um bebê. Em todos os casos, é interessante que a mulher possa ter amparo da família, companheiro ou amigos, ou seja, alguém com quem ela tenha vínculo afetivo.

Quando existe um comprometimento emocional da mulher e uma sensação muito ruim sobre a gravidez é interessante que ela busque ajuda de um especialista da área de saúde gestacional, como médico, profissionais da rede de saúde, psicólogos, enfermeiros, entre outros.