Arquivo | novembro, 2015

O bebê chegou e o casamento acabou…

10 nov
Fazer pontes entre as diferenças aproxima o casal

Fazer pontes entre as diferenças aproxima o casal

Cada dia é mais comum observarmos casais que se separam logo após o nascimento de um bebê. Geralmente esse rompimento é feito de modo abrupto, deixando para trás raiva e rancor. Muitas crianças que chegam aos consultórios sofrem com os efeitos traumáticos das separações dos pais, sendo herdeiros das mágoas alheias.

Mas podemos pensar: por quê será que esses casais se separaram? O que será que se passou? É claro que a resposta é única e somente cada um pode dizer de si. Entretanto, há um ponto muito importante entre os casos e que se volta ao bebê. A chegada de um filho abala as estruturas, da mulher, de seu companheiro e, conseqüentemente, do casal.

Aquele tempo do namoro, de leveza da relação, de possibilidade de dedicação exclusiva ao parceiro, muitas vezes acaba com a chegada das responsabilidades trazidas pelo papel de ser pai e mãe. Isso não é fácil mesmo. Se adaptar a nova rotina do bebê, onde não há horários, não há regras e a demanda é exclusiva da criança pode acabar com alguns relacionamentos se os pais não apostarem em uma reconstrução da relação. Isso implica olhar seu parceiro e sua parceira com outros olhos; ela não é mais minha mulher ou meu marido somente. Tem mais alguém que precisa de amor e cuidados. Eu preciso esperar e atender o outro.

Uma aposta não é algo imediato. O papel de pai e mãe não é dado automaticamente como nos comerciais. A construção dos laços, de novas pontes de união é algo trabalhoso. Se não se investe nisso dificilmente o casal permanece unido. Por isso é importante ouvir os casais e resgatar o que os une para que juntos possam fazer o relacionamento continuar a existir e não meramente sobreviver.

Abraços,

Caroline

Anúncios