Eu sou o Antônio. A importância do nome próprio no bebê

9 mar

O bebê se desenvolve todos os dias, sem exceção. Mesmo quando não percebemos diferenças no exterior não podemos nos deixar enganar: dentro do bebê novas conexões, relações e vínculos são formados.

A conquista do pEurimeiro passinho ou da primeira palavra são comumente lembradas pelos pais, mas outras aquisições importantes da criança podem passar desapercebidas, uma delas o uso do termo Eu.

O bebê geralmente se auto-refere a partir de seu nome ou apelido, a Caca, o Fefe, a Dedé, repetindo o modo como os pais o chamam. Mas, de repente, ele diz: eu. Eu quero! Eu não gosto. Alguns mesmo antes de falar já pequenos batem no peito mostrando essa referência.

O surgimento da palavra Eu mostra o estabelecimento de uma organização psíquica muito importante, indicando que a criança sempre se relacionará com o mundo a partir de um olhar próprio. Esse marco costuma acontecer entre o primeiro e o segundo ano de vida e os pais devem estar atentos ao seu surgimento.

Sem dúvida estruturar uma unidade psíquica singular é uma conquista. Ela mostra a diferença radical do bebê com todos os outros, sua particularidade, sua unidade de sujeito singular. Novos gostos, novas descobertas. Delícia de acompanhar.

Abraços!

Caroline

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: