Tag Archives: Crianças

Eu sou o Antônio. A importância do nome próprio no bebê

9 mar

O bebê se desenvolve todos os dias, sem exceção. Mesmo quando não percebemos diferenças no exterior não podemos nos deixar enganar: dentro do bebê novas conexões, relações e vínculos são formados.

A conquista do pEurimeiro passinho ou da primeira palavra são comumente lembradas pelos pais, mas outras aquisições importantes da criança podem passar desapercebidas, uma delas o uso do termo Eu.

O bebê geralmente se auto-refere a partir de seu nome ou apelido, a Caca, o Fefe, a Dedé, repetindo o modo como os pais o chamam. Mas, de repente, ele diz: eu. Eu quero! Eu não gosto. Alguns mesmo antes de falar já pequenos batem no peito mostrando essa referência.

O surgimento da palavra Eu mostra o estabelecimento de uma organização psíquica muito importante, indicando que a criança sempre se relacionará com o mundo a partir de um olhar próprio. Esse marco costuma acontecer entre o primeiro e o segundo ano de vida e os pais devem estar atentos ao seu surgimento.

Sem dúvida estruturar uma unidade psíquica singular é uma conquista. Ela mostra a diferença radical do bebê com todos os outros, sua particularidade, sua unidade de sujeito singular. Novos gostos, novas descobertas. Delícia de acompanhar.

Abraços!

Caroline

Anúncios

Você já ouviu falar na hora do terror?

29 out

Quem tem filhos deve conhecer ou já ouviu falar na hora do terror. Esse é um nome engraçado para aquele famoso horário de final de tarde, quando as crianças ficam irritadas e inquietas.

Alternativas para pensar a hora mais cansativa do dia

Alternativas para pensar a hora mais cansativa do dia

Esse período geralmente é um momento difícil para os pais e cuidadores da criança e as brigas costumam acontecer.
O problema é que todos estão cansados e a possibilidade de negociação fica mais escassa.
Uma boa alternativa é usar recursos lúdicos para que o momento tenso possa se tornar mais divertido. Algumas mães tem saídas interessantes:
– propor um passeio curto de carro ou a pé. Os estímulos externos despertam curiosidade nas crianças e relaxamento aos adultos;
– atividades de desenho, pintura, argila. A fluidez do materiais e mobilidade permitem a livre expressão.
– banho, água, piscina. Ótimo horário para natação ou aquele banhinho sem pressa. Relaxamento das crianças que trará paz aos pais durante a noite.
Crianças mais calmas e felizes, sem erro.
Pais mais disponíveis e atividades agradáveis para ambos é uma estratégia para evitar confrontos desnecessários e trazer mais harmonia,

Um abraço,

Caroline

Você deixa seu filho crescer?

31 maio

Você deixa seu filho crescer? A primeira vista parece uma pergunta estranha.

Como assim? Crescer é algo complexo e não tem a ver somente com crescer fisicamente. Crescer significa explorar o mundo e se relacionar com ele de modo independente.

Muitos pais se referem aos seus filhos como bebês, mesmo com 2 ou 3 anos. Mas ele não é mais um bebê e pode perceber a contradição. Algumas crianças ficam assim “pressas” no rótulo de bebês e se arriscando pouco no contato com o mundo exterior. Isso pode ser visto em crianças que demoram para sair das fraldas, têm medo constante de estranhos e não conseguem se afastar dos pais (mesmo em ambientes seguros, como a escola).

Permitir que a criança cresça implica em proporcionar desafios, estimulação e se surpreender com o que ela pode dizer e fazer. É tão gostoso ver uma criança aprendendo coisas, tendo seu próprio espaço em casa e na escola, tendo uma rotina própria… Quando isso é valorizado, podemos observá-la contando sobre suas experiências, por exemplo, como foi seu dia na escola ou com a babá. Assim, ela troca com seus pais suas vivências, criando intimidade.

Aproveitem o desafio e deliciem-se com o desenvolvimento de seus filhos!

Um abraço!