Tag Archives: Limites para crianças

Você já ouviu falar na hora do terror?

29 out

Quem tem filhos deve conhecer ou já ouviu falar na hora do terror. Esse é um nome engraçado para aquele famoso horário de final de tarde, quando as crianças ficam irritadas e inquietas.

Alternativas para pensar a hora mais cansativa do dia

Alternativas para pensar a hora mais cansativa do dia

Esse período geralmente é um momento difícil para os pais e cuidadores da criança e as brigas costumam acontecer.
O problema é que todos estão cansados e a possibilidade de negociação fica mais escassa.
Uma boa alternativa é usar recursos lúdicos para que o momento tenso possa se tornar mais divertido. Algumas mães tem saídas interessantes:
– propor um passeio curto de carro ou a pé. Os estímulos externos despertam curiosidade nas crianças e relaxamento aos adultos;
– atividades de desenho, pintura, argila. A fluidez do materiais e mobilidade permitem a livre expressão.
– banho, água, piscina. Ótimo horário para natação ou aquele banhinho sem pressa. Relaxamento das crianças que trará paz aos pais durante a noite.
Crianças mais calmas e felizes, sem erro.
Pais mais disponíveis e atividades agradáveis para ambos é uma estratégia para evitar confrontos desnecessários e trazer mais harmonia,

Um abraço,

Caroline

A importância em se colocar limites nas crianças: A parte dos pais

15 mar

O tema dos limites nas crianças nem sempre é fácil de ser discutido. Isso porque, ao contrário do que muitos dizem, não existem regras prontas que possam ser ensinadas aos pais. Por isso, discutirei em três posts os desafios de criar os filhos, segundo a perspectiva do estabelecimento de limites na infância.

Primeiro ponto: os pais. Limites e educação geralmente se relacionam com a criação dos próprios pais e muito dessa história paterna afetará o desenvolvimento da criança. Isso não é um problema, mas sim um modelo forte que contribui inevitavelmente e que precisa ser trabalhado. Os pais amam muito seus filhos e, às vezes, esse é um amor cego. Eles permitem que os filhos façam tudo o que desejam, criando pequenos tiranos. É comum observarmos na clínica psicológica o baixo nível de tolerância à frustração nas crianças. Mas o que é isso? Na verdade é bem simples: são crianças que não toleram ser contrariadas. Tudo tem que ser do seu jeito, na sua hora.

A missão aqui é mostrar aos pais que os limites são fundamentais. Digam poucos nãos, mas quando os disser é importante manterem o não. O não fornece a sensação de limite, mas também de segurança. É a baliza que mostra até onde a criança pode ir. Eu sei que falar é fácil, mas fazer é difícil. Somos humanos e não queremos que nossos filhos sofram… Mas isso é necessário. É indispensável para a criança. Pais que educam de verdade não são castigadores, mas quem possibilita a primeira sensação segura e real com o mundo.

O próximo post é sobre o papel da escola! Não percam!

Abraços…